São Paulo reduz nº de cidades em condição de vulnerabilidade

Atualizado em 12/12/2019 18h10


São Paulo reduz nº de cidades em condição de vulnerabilidade

O número de cidades paulistas em condição de vulnerabilidade caiu 20,47% entre 2014 e 2018. É o que aponta o novo IPRS (Índice Paulista de Responsabilidade Social) divulgado nesta quinta-feira (12) pelo presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Cauê Macris.

De acordo com os dados, os municípios com baixa riqueza, baixa longevidade e baixa escolaridade (características dos municípios em condição vulnerável) somavam 77 em 2014. No ano passado, esse número foi reduzido para 61.

Por outro lado, os municípios dinâmicos, que são aqueles com alta riqueza e média ou alta longevidade e escolaridade, cresceram 7,7% no período, passando de 104 para 112.

"O resultado é excelente. São Paulo está no caminho certo e a nossa expectativa é que, mantidos os investimentos e a velocidade das ações, não teremos mais cidades em condição de vulnerabilidade até o fim da próxima década", disse Cauê Macris.

Criado em 2001 pelo então presidente da Assembleia, o atual deputado federal Vanderlei Macris, o IPRS está na sua 10ª edição e classifica os municípios entre os grupos vulneráveis, dinâmicos, desiguais, equitativos e em transição.

Para a classificação, são avaliados as dimensões riqueza (PIB, salários, aposentadoria, consumo de energia elétrica), longevidade (índices de mortalidade) e escolaridade (matrículas, número de alunos com conhecimento em português e matemática, e faixa etária escolar).

O levantamento é feito a cada dois anos e neste ano inovou ao trazer informações de 2018 a partir de estimativas de registros administrativos e projeções da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), responsável por elaborar o índice.

"Com os números atualizados, o IPRS se concretiza como uma ferramenta que vai nortear a implantação de políticas públicas pelos prefeitos em seus municípios. Todos precisam acessar o estudo e identificar as necessidades de investimentos", disse Cauê Macris.

O IPRS pode ser consultado nos sites da Assembleia Legislativa de São Paulo (www.al.sp.gov.br) e na página especial www.iprs.seade.gov.br.