Cauê participa do lançamento do programa Nossa Casa

Atualizado em 25/09/2019 19h08


Cauê participa do lançamento do programa Nossa Casa

O presidente da Alesp, deputado Cauê Macris, participou nesta quarta-feira, 25, no Palácio dos Bandeirantes, com o governador João Doria e o secretário de Habitação, Flávio Amary, do lançamento da primeira fase do programa Nossa Casa, que prevê 60 mil unidades habitacionais até 2022. O investimento é de R$ 1 bilhão. 

“Uma ótima inciativa do Governo Estadual, que garante às famílias de baixa renda condições de realizar o sonho da casa própria e, mais do que isso, dignidade e segurança”, destacou o chefe do Legislativo Paulista. 

O objetivo do programa é atender famílias de mais baixa renda, na faixa de três e também de cinco salários mínimos. Nos primeiros dois anos, a previsão é da construção de 26.735 unidades habitacionais em mais de 120 municípios do Estado. 

Destas primeiras unidades, 11 mil serão construídas pela modalidade Nossa Casa-CDHU, ou seja, as moradias serão construídas em parceria com a Caixa Econômica Federal, em 114 municípios. 

Outras 15.735 serão fomentadas em 24 municípios pela modalidade Nossa Casa-Apoio, voltada para entidades e empresas. Destas, 5.025 unidades são para municípios da Região Metropolitana e as demais unidades estão localizadas em municípios do interior e litoral do Estado. 

O programa conta, ainda, com uma terceira modalidade, o Nossa Casa-Preço Social, que viabilizará a construção de moradias com a iniciativa privada a preços reduzidos. 

“Políticas públicas feitas de forma correta são contínuas e não dependem de vontade política, mas vontade de governo, de comportamento, de atitude. Este programa é, neste momento, o mais vigoroso programa de habitação popular do país e está sendo feito aqui no Estado de São Paulo”, enfatizou Doria. 

O Nossa Casa foi instituído pelo Decreto estadual nº 64.419 e estima investimento de R$ 1 bilhão na construção 60 mil unidades até 2022. O programa promoverá parcerias entre o Estado, as prefeituras e a iniciativa privada para fomentar a produção de unidades habitacionais para famílias de baixa renda. 

Nas três modalidades, a Secretaria de Estado da Habitação, por meio da Agência Casa Paulista, concederá subsídios de até R$ 40 mil, conforme a renda das famílias. Será possível contar ainda com subsídios federais e utilizar o FGTS no financiamento habitacional, quando disponível. Desta forma, o valor das prestações ficará compatível com a capacidade de pagamento das famílias. 

“Nosso trabalho é para garantir o sonho da dona Maria e o emprego do senhor José. São cerca de 27 mil unidades e, se consideramos que são três empregos gerados para cada casa, estamos fomentando a geração de 81 mil empregos no Estado nos próximos dois anos”, disse Amary. 



Com informações do portal do Governo de SP