Reunião discute criação de banco nacional de dados criminais

Atualizado em 18/09/2020 13h28


Reunião discute criação de banco nacional de dados criminais

O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Cauê Macris, recebeu nesta sexta-feira (18) o secretário Nacional de Segurança Pública, Carlos Renato Machado Paim. Eles participaram de um encontro com outros deputados paulistas para tratar do projeto que pretende reunir, em um único lugar, informações criminais de todo o país.

Cauê Macris defendeu a unificação dos dados de todas as forças de segurança e colocou o Parlamento paulista à disposição para discutir o assunto. “A criminalidade está disseminada no país e o compartilhamento dos dados e informações criminais vai acelerar o desmantelamento de quadrilhas e outras facções que atuam no país”, disse ele.

Com o compartilhamento, os dados ficariam à disposição da Secretaria Nacional de Segurança Pública, de todas as secretarias estaduais e da Polícia Federal. Atualmente, apenas alguns Estados compartilham dados com a Polícia Federal. “Isso dificulta o trabalho de identificação de autoria dos crimes registrados no Brasil”, afirmou Cauê Macris.

O secretário nacional explicou como acontece o compartilhamento dos dados criminais e deu detalhes do projeto. Ele destacou que, com a união das informações, todos os brasileiros estarão identificados e mais seguros. O projeto de unificação está orçado em R$ 90 milhões e deverá ser custeado pelo Fundo Nacional de Segurança Pública.

Atualmente, a Secretaria Nacional de Segurança Pública coordena a Força Nacional de Segurança, uma polícia formada a partir da contribuição de todos os Estados –policiais militares, civis, bombeiros e peritos– e que atua na preservação da ordem pública, segurança das pessoas e patrimônio, além de calamidades decretadas pelo país.