Sob comando de Cauê Macris, Alesp obtém AVCB pela 1ª vez

Atualizado em 02/03/2021 19h03


Sob comando de Cauê Macris, Alesp obtém AVCB pela 1ª vez

A Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) obteve, pela primeira vez na história, o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) --documento que atesta que a sede do Parlamento cumpre todas as regras de segurança para prevenção e combate a incêndios.

Obrigatório há 38 anos no Estado, o laudo foi viabilizado após a implementação de um moderno sistema de prevenção e combate a incêndios no Palácio Nove de Julho, obra autorizada e supervisionada pelo presidente da Casa, deputado Cauê Macris.

O investimento, de R$ 3,7 milhões, representou uma economia de 67% em relação ao orçamento elaborado em 2015. Em períodos normais, a Assembleia chega a receber até 5.000 pessoas por dia.

Na tarde desta terça-feira (2), Cauê e os deputados Enio Tatto e Milton Leite, 1º e 2º secretários da Mesa Diretora, respectivamente, apresentaram o sistema.

As obras incluem a instalação de 12 portas corta-fogo feitas de aço carbono e vidro, que têm capacidade de resistir por uma hora a uma temperatura de 700 graus Celsius.

As portas também contêm um sensor de fechamento automático quando o alarme é acionado por qualquer um dos 1.100 detectores de fumaça instalados no prédio -  e que podem ser abertas por meio de uma alavanca facilmente acionada por qualquer pessoa em momentos de pânico.

Esse sistema permite a compartimentação do prédio para impedir que o fogo se alastre em um eventual incêndio. Outras 20 portas corta-fogo convencionais foram instaladas. Já os detectores de fumaça estão interligados a uma central com monitoramento 24 horas.

Para o presidente da Casa, as obras para obtenção do AVCB são indispensáveis a um espaço público tão acessado. “A Alesp é um lugar frequentado por milhares de pessoas diariamente. Elas precisam ter a certeza de que estão em segurança aqui, e agora nós temos um atestado do Corpo de Bombeiros que prova que o Palácio Nove de Julho é seguro”, afirmou.

A adaptação do prédio foi feita de forma a preservar as características arquitetônicas da Alesp. O Palácio Nove de Julho é dividido entre o prédio central, inaugurado em 1968, e o anexo parlamentar, que ficou pronto em 2009 e já seguia boa parte das diretrizes legais.

No prédio mais antigo, a Alesp instalou um sistema chamado sprinkler sidewall, formado por tubulações de água equipadas com 245 chafarizes que são acionados em caso de incêndio e resfriam toda a parede, o que impede que o fogo se alastre de uma parte a outra do Palácio.

A adaptação contempla ainda duas escadas de emergência no anexo parlamentar, que podem ser usadas como rota de fuga em caso de incêndio.

Para obter o AVCB, o Palácio Nove de Julho passou a contar também com 91 hidrantes e 246 extintores de incêndio, além de sinalização completa de equipamentos e rota de fuga. Uma Brigada de Incêndio com 264 membros foi treinada.