Cauê Macris apresenta balanço da gestão à frente da Assembleia

Atualizado em 05/03/2021 19h10


Cauê Macris apresenta balanço da gestão à frente da Assembleia

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, deputado estadual Cauê Macris, detalhou nesta sexta-feira (5) as ações que deixaram o Legislativo paulista mais moderno, transparente e econômico nos últimos quatro anos.

Graças às iniciativas adotadas sob os eixos da inovação, transparência e austeridade, a estrutura física, tecnológica e administrativa do Parlamento está preparada para os próximos 20 anos, afirmou o deputado ao falar em plenário nesta tarde.

Após dois biênios no comando do Parlamento, Cauê deixa a Presidência no dia 15 deste mês, data em que a Casa elege novos integrantes para a Mesa Diretora.

No âmbito da austeridade, a Alesp fez, nos últimos três anos, a maior devolução já vista de recursos aos cofres públicos: R$ 454 milhões (R$ 106 milhões em 2018, R$ 146 milhões em 2019 e R$ 202 milhões em 2020).

Uma das ações que possibilitaram essa economia foi a redução do gasto com folha de pagamento. O pagamento de funcionários, que consumia 91,9% do Orçamento do Legislativo em 2017, hoje representa 80,7% dos recursos da Alesp.

A economia deve-se, entre outras ações, à extinção de cargos e à regularização de procedimentos para as férias (com o fim da prática de “venda de férias” e garantia do direito de descanso aos funcionários). Mesmo com a redução, os funcionários receberam, todos os anos, reajustes salariais sempre acima da inflação.

Em 2020, outra iniciativa da Mesa Diretora presidida por Cauê contribuiu para a economia: os parlamentares cortaram 30% de seus salários e 40% das verbas de gabinete. O presidente da Casa também reviu contratos e suspendeu pagamento de licenças-prêmio para cortar os gastos e direcionar o dinheiro para que o Estado possa usar os recursos no combate à Covid-19.

As ações tiveram como objetivo não só a economia, mas também a melhor gestão da Casa por meio de ações que também a aproximem da população.

Foi com isso em vista que Cauê conduziu a reforma administrativa, aprovada recentemente, que reduziu de 68 para 32 o número de Unidades Administrativas e cortou metade dos cargos vagos de analista e técnico legislativo. A modernização vai deixar os processos de licitações mais ágeis, transparentes e facilita a tomada de decisões.

TRANSPARÊNCIA E INOVAÇÃO

Sob a gestão de Cauê, a Assembleia deu um salto sem precedentes em direção à transparência. Além de reformular o Portal da Transparência, o presidente lançou, ainda em 2017, o aplicativo Fiscaliza Cidadão, que permite que qualquer pessoa com um celular acesse aos salários de todos os funcionários e informações sobre os deputados e suas proposições.

“Eu sempre disse que austeridade é um dever de todo gestor público. A transparência é um direito do cidadão, mas ambas são alcançadas com inovação constante”, afirmou o presidente, em discurso durante a sessão.

Segundo Cauê, essa inovação é refletida em serviços públicos de qualidade e que custam menos à população. Um dos exemplos disso foi o investimento na área de Tecnologia da Informação, que saiu de R$ 4 milhões em 2017 para R$ 17 milhões em 2019.

As modernizações de equipamentos e da estrutura de informática e informação foram fundamentais para colocar em prática três sistemas que revolucionaram a gestão da Casa, porque vão deixar os processos mais eficientes, ágeis e baratos. São o Alesp sem Papel, que reduz o uso de impressos; o Alesp moderna, um sistema integrado de gestão que unifica as informações de vários setores para facilitar o gerenciamento administrativo e as compras; e o Legis RH, um sistema obtido de forma gratuita para operar a folha de pagamento e as contratações. Todas essas inovações, afirma Cauê, permitem fazer mais com menos recursos.

“A gente devolve dinheiro pro Estado, diminui o custo da máquina da Assembleia e aumenta valor de investimento numa área que não aparece. Mas esse investimento em TI foi fundamental para o próximo passo do ponto de vista do gerenciamento administrativo”, afirmou o presidente. “Esses três sistemas só rodam hoje por conta da mudança do parque tecnológico”, completou.

ESTRUTURA

Em seus quatro anos à frente da Alesp, Cauê promoveu uma grande mudança estrutural na Alesp. Pela primeira vez na história, o Palácio Nove de Julho conseguiu o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), documento que atesta a segurança contra incêndios, depois de uma modernização nas dependências da Casa, que é frequentada, em períodos normais, por até 5 mil pessoas diariamente.

A Mesa, presidida por Cauê, também implantou um sistema de videomonitoramento em toda a Casa e reformou três plenários, deixando-os mais acessíveis e conectados.

Transformar a Alesp em um espaço útil e acessível à população foi uma das propostas da gestão de Cauê, com algumas ações simples (como a abertura da biblioteca da Alesp ao público) a obras maiores, como a inauguração de um bicicletário.

Nesta semana, por exemplo, a Alesp firmou convênio e municipalizou a creche da Assembleia, que agora será administrada pela prefeitura e pode atender até 120 crianças, entre filhos de servidores e de moradores da região.

Outro avanço neste sentido foi aproveitar a localização privilegiada (a Alesp é facilmente acessada por transporte público) para transformar a Alesp em um espaço de concentração de serviços públicos importantes, inicialmente com o Detran e agora com a recém-inaugurada unidade do Poupatempo.

A Rede Alesp impulsionou a comunicação e agora é um canal gerador de conteúdo para a população.

Cauê agradeceu o empenho dos deputados e especialmente aos parlamentares que compuseram a Mesa Diretora com ele nos dois biênios que comandou a Casa: Luiz Fernando Teixeira (1º secretário)e Estevam Galvão (2º secretário), de 2017 a 2019, e Enio Tatto (1º secretário) e Milton Leite Filho (2º secretário), de 2019 a 2021. Também fez um agradecimento a todos os funcionários do Legislativo.

“Saio do comando da Assembleia com a sensação de dever cumprido, com a convicção clara de que, o que a gente fez e realizou ao longo dos anos, foi pensando na população do Estado”, afirmou.