Assembleia moderniza gestão e garante eficiência por 20 anos

Atualizado em 11/03/2021 15h38


Assembleia moderniza gestão e garante eficiência por 20 anos

As iniciativas inovadoras adotadas nos últimos quatro anos deixam a Assembleia Legislativa de São Paulo preparada para os desafios dos próximos 20 anos, com uma gestão mais ágil, eficiente e econômica.

A afirmação é do presidente do Legislativo, deputado Cauê Macris, que encerra sua administração à frente da Alesp na próxima segunda (15), quando serão eleitos novos integrantes da Mesa Diretora.

Em discurso na última sexta-feira (5) no plenário Juscelino Kubitschek, o deputado contou que a inovação é um dos eixos do tripé sob o qual comandou o Parlamento (os outros são austeridade e transparência).

Para ele, inovar é fundamental para conferir austeridade à gestão dos recursos e para garantir a transparência necessária para que todos tenham acesso às informações sobre o Legislativo.

Símbolos desta inovação, os programas “Alesp Sem Papel” e “Alesp Moderna” foram lançados no ano passado. O primeiro consiste na redução do uso de impressos na Assembleia até a total eliminação do papel. O objetivo, além de reduzir os custos com impressão e energia, é dar mais agilidade e transparência à gestão, com a digitalização de todos os documentos.

O Alesp Moderna é um sistema de controle de estoque, consumo e de gestão financeira do Legislativo, que vai facilitar os processos de compra e as tomadas de decisão.

No ano passado, a Alesp também firmou convênio com a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte para usar, gratuitamente, o Legis RH, sistema de gestão de recursos humanos.

Cauê destacou que os investimentos em tecnologia da informação foram fundamentais para permitir o funcionamento desses três sistemas, que trarão modernidade e economia à Casa.

“Esse investimento a médio e longo prazo vai fazer diferença do ponto de vista administrativo, porque vai descomplicar e desburocratizar os processos licitatórios e dar transparência a todos os pontos: começo, meio e fim”, afirmou o presidente da Casa.

Outro passo importante para inovar a administração da Alesp, segundo Cauê, foi a modernização administrativa promovida graças a um projeto de resolução aprovado em 2020.

Com a modernização, a Alesp reduziu de 68 para 32 o número de Unidades Administrativas e extinguiu metade dos cargos vagos de analista e técnico legislativo. Toda a estrutura da Casa agora está interligada de forma mais inteligente, para garantir agilidade em todos os procedimentos internos.